As mentiras do Apocalipse Protestante! 

“De Abel a Zacarias”; o cânon de Cristo e Joséfo.

“De Abel a Zacarias”; o cânon de Cristo e Joséfo.

“De Abel a Zacarias”; o cânon farisaico de Joséfo citado por Cristo.

Meu Deus! Jesus Cristo, nosso Senhor e Salvador, aquele que tudo sabe e tudo faz, usava como Escrituras Sagradas, o cânon satânico farisaico protestante citado por Flávio Joséfo.

Caros leitores, muita calma nesse momento, nada disso é realidade, na verdade, isso foi apenas mais uma das “pataquadas” protestantes dos últimos tempos. Segundo esses PROTESTANTES MAÇÔNICOS, Jesus Cristo confirmou a inspiração Divina do cânon satânico farisaico protestante nesse texto do Evangelho de São Lucas:

“E assim se pedirá conta a esta geração do sangue de todos os profetas derramado desde a criação do mundo, desde o sangue de Abel até o sangue de Zacarias, que foi assassinado entre o altar e o templo. Sim, declaro-vos que se pedirá conta disso a esta geração” (Evangelho de São Lucas, Capítulo XI, Versos L e LI)

Observem (sem rir) esse print:

Bem, antes de refutar essa historinha maquiavélica do cânon farisaico, eu vou comentar sobre essa questão: A PALAVRA DE DEUS que foi confiada aos judeus”.

Eu já refutei esse assunto em outros artigos, porém, nossos amigos rebelados fingem que nada aconteceu. Sobre essa questão, o texto referido pelo nosso amigo MAÇÔNICO (Romanos 3: 1,2) nada tem a ver com um cânon, ou, escrituras, aliás, o texto correto e sem adulterações satânicas protestantes, não faz referências as Escrituras Sagradas, ou, a Palavra de Deus (que é Jesus Cristo). O texto mencionado por esse protestante maçônico refere-se a: ORÁCULOS DO SENHOR

Texto correto e sem adulterações:

“Em que, então, se avantaja o Judeu? Ou qual é a utilidade da circuncisão? Muita, em todos os aspectos. Principalmente porque lhes foram confiados os Oráculos de Deus (Carta de São Paulo aos Romanos, Capítulo III, Versos I e III)

ORÁCULOS – na verdade, eram respostas, no qual, alguns sábios proferiam após uma consulta. Nem todas as Escrituras Sagradas são ORÁCULOS e nem todos os ORÁCULOS são Escrituras Sagradas. Por exemplo: a Bíblia Sagrada faz menção aos oráculos de Baal. Será que esses oráculos SÃO PALAVRAS DE DEUS?

Quem quiser saber mais sobre esse assunto, acessar meu artigo: AT confiado aos Judeus e o NT a Igreja. Será?

Como eu já citei em outros artigos, e, agora, repetindo nesse artigo, não é difícil refutar as baboseiras protestantes, isso até uma criança de primeiro ano na catequese o faz. O único problema na refutação é, ficar “desadulterando” as adulterações satânicas que esses protestantes promovem em suas FERRADAS POR ALMEIDA. Mais uma vez eu lanço o desafio:

“eu retiro o meu blog “DIÁRIO ALEXANDRINO” do ar se alguém me apresentar um só artigo protestante que não seja elaborado em cima de uma adulteração Bíblica, ou, nas obras da Patrística”.      

Bem, voltando ao assunto proposto (cânon satânico farisaico protestante citado por Flávio Joséfo), mais uma vez eu vou expor o texto referido pelo PROTESTANTE MAÇÔNICO.

“E assim se pedirá conta a esta geração do sangue de todos os profetas derramado desde a criação do mundo, desde o sangue de Abel até o sangue de Zacarias, que foi assassinado entre o altar e o templo. Sim, declaro-vos que se pedirá conta disso a esta geração” (Evangelho de São Lucas, Capítulo XI, Versos L e LI)

Observem no próximo print, como está dividido o cânon farisaico depois do surgimento da imprensa no século XV.

O que vemos nesse print, na verdade é, a forma sequencial do cânon satânico farisaico (depois do surgimento da imprensa).

O cânon é dividido em: LEISPROFETASESCRITOS.

Utilizando-se dessa mesma ideia, nossos amigos rebelados insistem na teoria de que, Jesus Cristo citou esse mesmo catálogo há dois mil anos, e, supostamente, sendo esse catálogo, o mesmo citado por Flávio Joséfo, no qual, foi estipulado pelos fariseus depois do sínodo JÂMNIA.      

Caro leitor, eu sei que está complicado, mas, eu vou explicar a teoria maluca dos rebelados.

O cânon farisaico do século XXI, depois do surgimento da imprensa, inicia-se em GÊNESIS e termina em CRÔNICAS. Bem, levando em consideração as loucuras protestantes, os mesmos sugerem que, Jesus Cristo ao citar no Evangelho de São Lucas – “desde o sangue de Abel até o sangue de Zacarias” – Jesus Cristo estaria citando: 

  • ABEL o justo: seja o primeiro mártir citado pelo livro de GÊNESIS.
  • ZACARIAS: seja o filho de Joiada que foi mártires e é citado no livro de II CRÔNICAS:

Texto sugerido sobre Zacarias o filho de Joiada:

“E o Espírito de Deus revestiu a Zacarias, filho do sacerdote Joiada [...]. E eles conspiraram contra ele, e o apedrejaram por mandado do rei, no pátio da casa do Senhor. Assim o rei Joás não se lembrou da beneficência que Joiada, pai de Zacarias, lhe fizera; porém matou-lhe o filho, o qual, morrendo, disse: O Senhor o verá, e o requererá” (II Crônicas 24; 20 ao 22)

Sendo assim, no sentido figurado (segundo os rebelados), Jesus Cristo estaria dizendo: DESDE O SANGUE DE GÊNESIS ATÉ O SANGUE DE II CRÔNICAS. (que é o cânon farisaico).

Então eu me pergunto: Não seria mais útil Jesus Cristo ter dito que recairia sobre Jerusalém todo o sangue derramado desde o livro de Gênesis até o livro de Crônicas? Infelizmente esses “gesuises” protestantes sofrem de “retrocedimento encefálico”. FATO!

Agora voltando para realidade.

Caro leitor, Jesus Cristo jamais citou um cânon nesse texto do Evangelho de São Lucas, ou, um catálogo de livros Sagrados, muito menos a quantidade desses livros (como sugere o nosso rebelado maçônico). Isso foi mais um dos embustes protestantes, no qual, eu refutarei com a maior facilidade.

Esse texto do Evangelho de São Lucas, apenas faz referências, ou, interpreta esse outro texto do Apocalipse:

“Foi em ti que se encontrou o sangue dos profetas e dos santos, como também de todos aqueles que foram imolados na terra” (Apocalipse, Capítulo XVIII, Verso XXIV) 

Lendo o texto, podemos observar que, a prostituta da Babilônia (Jerusalém) estava manchada pelo sangue dos PROFETAS e dos SANTOS.

Agora, observem de novo o texto citado pelo PROTESTANTE MAÇÔNICO:

“E assim se pedirá conta a esta geração do sangue de todos os profetas derramado desde a criação do mundo, desde o sangue de Abel até o sangue de Zacarias, que foi assassinado entre o altar e o templo. Sim, declaro-vos que se pedirá conta disso a esta geração” (Evangelho de São Lucas, Capítulo XI, Versos L e LI)

  • ABEL o justo: faz referências aos SANTOS.
  • ZACARIAS: faz referências aos PROFETAS.

Simples assim, apenas isso e mais nada faz referências esse texto do Evangelho de São Lucas. 

Tudo bem, os protestantes podem me questionar dizendo: “mesmo que esse texto fosse referente ao texto do Apocalipse, Jesus Cristo continua citando o cânon satânico farisaico protestante citado por Flávio Joséfo e usado pelos rebelados em suas FERRADAS POR ALMEIDA

Caro leitor, eu vou provar nesse artigo que:

  1. Jesus Cristo não estava citando um cânon do AT.
  2. O suposto Zacarias não é o filho de Joiada citado em II Crônicas, e, sim, o profeta filho de Baraquias, no qual, seu livro é listado entre os profetas menores.
  3. O cânon farisaico de Flávio Joséfo possui um catálogo diferente do cânon farisaico citado pelos protestantes.

Vamos começar a refutação com uma importante indagação, porém, necessária para interpretação do texto citado pelos protestantes. Mais uma vez eu vou relembrar o texto:

“E assim se pedirá conta a esta geração do sangue de todos os profetas derramado desde a criação do mundo, desde o sangue de Abel até o sangue de Zacarias, que foi assassinado entre o altar e o templo. Sim, declaro-vos que se pedirá conta disso a esta geração” (Evangelho de São Lucas, Capítulo XI, Versos L e LI)

O grande problema (para os protestantes é lógico) é que, esse texto do Evangelho de São Lucas, vem acompanhado por outro texto do Evangelho de São Mateus. Observem a consonância dos dois textos:

“[...]. E assim se pedirá conta a esta geração do sangue de todos os profetas derramado desde a criação do mundo, desde o sangue de Abel até o sangue de Zacarias, que foi assassinado entre o altar e o templo [...].” (Evangelho de São Lucas, Capítulo XXI, Versos XLVIII ao LI)

“[...]. Persegui-los-eis de cidade em cidade, para que caia sobre vós todos o sangue inocente derramado sobre a TERRA, desde o sangue de Abel, o justo, até o sangue de Zacarias, filho de Baraquias, a quem matastes entre o templo e o altar. Em verdade vos digo: todos esses crimes pesam sobre esta raça [...]. ” (Evangelho de São Mateus, Capítulo XXIII, Versos XXIX ao XXXVIII)

Caro leitor, infelizmente, o protestantismo esconde o texto do Evangelho de São Mateus, no qual, nos fornece uma informação importante. No texto do Evangelho de São Mateus, similar ao texto de São Lucas, Jesus Cristo nos informa que, o suposto ZACARIAS não é o filho de JOIADA, e, sim, O PROFETA FILHO DE BARAQUIIAS, ou seja, Jesus Cristo não estava citando o livro de CRÔNICAS, e, sim, Jesus Cristo estava citando o próprio livro profético de ZACARIAS, que por sinal, viveu muito tempo depois de ZACARIAS filho de JOIADA citado em CRÔNICAS.

Observem:

“No oitavo mês do segundo ano do reinado de Dario, a palavra do Senhor foi dirigida ao profeta Zacarias, filho de Baraquias, filho de Ado, nestes termos” (Zacarias, Capítulo I, Verso I)  

Agora eu pergunto aos protestantes, aliás, lhes-dou um grande ABACAXI!  

Teria Jesus Cristo se equivocado em suas referências bibliográficas?

Teria São Mateus, em seu Evangelho, colocado palavras inexistentes na boca de Jesus Cristo?

Obs.: Indagação retirada do site: Apologistas Católicos.

Vale lembrar que, o crivo protestante para definir se um livro é canônico ou apócrifo, passa justamente pela concepção de que, esse livro, não contenha erros: doutrinários, cronológicos e citações que contradiz outros livros canônicos, sendo assim, no crivo protestante, SÃO MATEUS seria um livro apócrifo e estaria do lado de fora das suas FERRADAS POR ALMEIDA.

Obs.: Por muito menos sete livros do AT foram banidos das FERRADAS POR ALMEIDAS.

Quem estará com a razão: São Mateus afirmando que Zacarias é o profeta filho de Baraquias, ou, a protestada afirmando que Zacarias é o filho de Joiada?

Obs.: “Zacarias, o filho de Joiada foi morto no pátio do templo, já o Zacarias citado no Evangelho de São Lucas foi morto entre o altar do templo”

Caro leitor, agora vamos falar sobre o suposto cânon de Flávio Joséfo, no qual, seria o mesmo citado por Jesus Cristo no Evangelho de São Lucas e o mesmo cânon usado pela protesta em suas FERRADAS POR ALMEIDA.

Primeiro, vale ressaltar que, Flávio Joséfo era fariseu da mesma linhagem que crucificou o Salvador, sendo assim, Flávio Joséfo, mesmo sendo um grande historiador, possuía a mesma mentalidade farisaica do primeiro século, ou seja, ele jamais pensaria como um Cristão. Não podemos nos esquecer de que, Flávio Joséfo viveu durante o sínodo de JÃMNIA, sendo assim, claramente, seu cânon seria formado pelas regras canônicas desse Sínodo.

Bem, vamos supor que, Jesus Cristo realmente tivesse citado algum tipo de CÂNON no Evangelho de SÃO LUCAS. Eu vou provar que esse cânon, nada tem a ver com o cânon citado por Flávio Joséfo.

Relembrando, segundo os protestantes, o cânon citado por Jesus Cristo seria formado por esse catálogo encontrado hoje nas livrarias judaicas, na internet etc:

O que vemos é um conjunto de livros separados em: LEIS – PROFETAS – ESCRITOS. Sendo o primeiro livros de GÊNESIS e o último livro de CRÔNICAS.

O importante nesse catálogo é ressaltar que, o último livro dos ESCRITOS é o livro HISTÓRICO de CRÔNICAS.

Agora eu vou mostrar ao leitor, como que Flávio Joséfo catalogou o seu suposto cânon:     

Temos somente vinte e dois livros que compreendem tudo o que se passou, e que se referem a nós, desde o começo do mundo até agora, e aos quais somos obrigados a prestar fé. Cinco são de Moisés, que refere tudo o que aconteceu até sua morte, durante perto de três mil anos e a sequência dos descendentes de Adão. Os profetas que sucederam a esse admirável legislador escreveram, em treze outros livros, tudo o que se passou depois de sua morte até o reinado de Artaxerxes, filho de Xerxes, rei dos persas, e os quatro outros livros contêm hinos e cânticos feitos em louvor de Deus e preceitos para os costumes.” (Flávio Josésfo resposta a Ápião, Livro I, Capítulo II)       

Caro leitor, vamos entender:

Primeiro – Flávio Joséfo diz ter em seu cânon, vinte e dois livros (onde se lê vinte e quatro pelos protestantes míopes). Bem, já encontramos dois livros a menos nesse cânon. Quais são eles? MERA SUPOSIÇÃO!

Segundo – Flávio Joséfo menciona os cinco livros de Moisés. Até aí tudo bem, todos os Cristãos, assim como os Judeus, têm esses cinco livros como inspirados.

Terceiro – Flávio Joséfo cita treze profetas apenas, no qual, ele relacionar todos os livros históricos (como proféticos) até a morte de ARTAXERXES.

AQUI ESTÁ O PRIMEIRO PROBLEMA (para os protestantes), pois, esse rei, é mencionado nos livros de Esther e Esdras, no qual, compões o conjunto de ESCRITOS do catálogo farisaico atual, ou seja, o mesmo conjunto onde se encontra o livro histórico de CRÔNICAS. Caro leitor, eu sei que é confuso, mas, eu vou explicar: O livro de CRÔNICAS catalogado entre os ESCRITOS no cânon farisaico (citado pelos protestantes) está catalogado entre os livros PROFÉTICOS no cânon de Flávio Joséfo, ou seja, o cânon farisaico no primeiro século era bem diferente do cânon encontrado hoje nas livrarias judaicas, internet etc.     

Quarto – os ESCRITOS do cânon de Flávio Joséfo que seria o último conjunto de seu catálogo, era composto por apenas quatro livros, no qual, o livro de CRÔNICAS não fazia parte dele. Observem novamente as palavras de Flávio Joséfo: “os quatro outros livros contêm hinos e cânticos feitos em louvor de Deus e preceitos para os costumes”.

Na verdade, caro leitor, o cânon citado por Flávio Joséfo seria esse:

LEIS:

- Gênesis

- Êxodo

- Levítico

- Números

- Deuteronômio

PROFETAS:

- Josué

- Juízes

- Rute

- I Samuel

- II Samuel

- I Reis

- II Reis

- I Crônicas

- IICrônicas

- Esdras

- Neemias

- Jó

- Isaías

- Jeremias (Lamentações)

- Ezequiel

- Oséias

- Joel

- Amós

- Abdias

- Jonas

- Miquéias

- Naum

- Habacuc

- Sofonias

- Ageu

- Zacarias

- Malaquias.

ESCRITOS:

- Salmos

- Provérbios

- Eclesiastes

- Cântico dos Cânticos

Com certeza, os livros de ESTHER e DANIEL ainda era questão de dúvidas entre os fariseus, assim como os livros de EZEQUIEL e CÂNTICOS. Mas, resumidamente, o suposto cânon satânico farisaico protestante de Flávio Joséfo, não possuía o mesmo catálogo que vemos hoje encadernado nas livrarias judaicas depois do sínodo de JÂMNIA e depois do surgimento da imprensa, aliás, esse será o próximo assunto.

COMO EU JÁ ME REFERI EM OUTROS ARTIGOS, FLÁVIO JOSÉFO É CARTA FORA DO BARALHO PROTESTANTE, POIS, O MESMO POSSUÍA UMA VISÃO FARISAICA E DISTORCIDA A RESPEITO DOS LIVROS SAGRADOS. 

Então como era catalogado o cânon do Antigo Testamente?

Caro leitor, esse tema será breve, pois, eu usarei como refutação, as próprias contradições protestantes. Como vimos no primeiro print, segundo o PROTESTANTE MAÇÔNICO, Jesus Cristo (supostamente) citou no Evangelho de São Lucas o cânon satânico farisaico protestante citado por Flávio Joséfo, no qual, seria o mesmo catálogo encontrado hoje nas livrarias judaicas, internet etc. Relembrando o texto:

“E assim se pedirá conta a esta geração do sangue de todos os profetas derramado desde a criação do mundo, desde o sangue de Abel até o sangue de Zacarias, que foi assassinado entre o altar e o templo. Sim, declaro-vos que se pedirá conta disso a esta geração” (Evangelho de São Lucas, Capítulo XI, Versos L e LI)

Agora vamos expor novamente o cânon farisaico:

Imaginado que, eu não refutei essa “pataquata” toda, e, que, Jesus Cristo tenha citado um catálogo sequencial de livros no Evangelho de São Lucas. Vamos à questão.

O PROBLEMA DESSA VEZ, e por sinal, o tiro no pé protestante é que, esse mesmo PROTESTANTE MAÇÔNICO, em outra postagem, afirma que, a LXX, nunca existiu, pois, na época, não existia UM CATÁLOGO SEQUENCIAL DE LIVROS CANÔNICOS. Observem o print:

Bem, caros leitores, dessa vez, eu vou ser humilde com o PROTESTANTE MAÇÔNICO, pois, até concordo (em partes) com ele, na verdade, na época, existia um cânon, ou seja, um conjunto de livros, porém, não teria como existir um catálogo sequencial desses livros. As Escrituras eram compostas por ROLOS, no qual, ficavam guardados em JARROS para sua conservação. Enfim, o problema não está na existência, ou, não, de um catálogo sequencial de livros, e sim, na contradição, pois, o mesmo protestante que afirma no primeiro print que, Jesus Cristo citou um catálogo sequencial de livros canônicos é o mesmo que no segundo print afirma não existir essa possibilidade na época de Jesus Cristo.

Conclusão:

Se a LXX não estava catalogada sequencialmente, o mesmo podemos dizer das Escrituras Hebraicas, pois, sabemos que os fariseus possuíam uma verdadeira biblioteca em suas sinagogas, ou seja, eles liam muito mais livros do que a protestada imagina. Podemos citar livros como: Contos de Henoc e os Doze Patriarcas.

Em nenhuma dás hipóteses levantadas pelos protestantes, pode-se afirmar qual era a quantidade exata de livros e quais eram os livros tidos como canônicos no primeiro século. No caso de Jesus Cristo ter citado um catálogo sequencial no Evangelho de São Lucas, podemos concluir que, a LXX também possuía o seu catálogo sequencial (não podemos usar de dois pesos e duas medidas).

Está mais do que provado que, os setes livros rejeitados pelos protestantes faziam parte do cânon grego e hebraico até o Século III (A.D.). Podemos observar isso em outros artigos por mim publicados.

Para terminar esse artigo, eu vou expor os erros e contradições do cânon satânico farisaico, no qual, foi adotado pelos protestantes em suas FERRADAS POR ALMEIDA.   

Primeiro, eu quero que o leitor observe novamente o print:

     

Lembrando, esse é o catálogo sequencial do cânon satânico farisaico protestante encontrado hoje, porém, os rebelados juram que, na época de Jesus Cristo, esse catálogo sequencial já existia (vamos esquecer o segundo print, no qual, o maçônico afirma que esse catálogo sequencial não existia), aliás, segundo os mesmos, Jesus Cristo citou esse catálogo (onde, eu não sei).

Bem, o importante é saber que, para os protestantes, esse cânon farisaico satânico é o cânon inspirado por Deus.     

Agora eu dar ao protestantismo, vários abacaxis com algumas perguntas:

Se esse cânon, aliás, se esse catálogo sequencial é tão importante ao ponto de ser citado por Jesus Cristo nos Evangelhos, por que o protestantismo não adotou em suas FERRADAS POR ALMEIDA esse mesmo cânon com a forma sequencial que os fariseus catalogaram? Se Jesus Cristo supostamente (risos) citou um cânon de Gênesis a Crônicas, por que o protestantismo possui um cânon de Gênesis a Malaquias?   

Olhando para esse cânon satânico farisaico protestante, algum protestante conseguiu perceber que – O LIVRO DE DANIEL –, catalogado entre os livros poéticos, na verdade, é um livro PROFÉTICO?

Obs.: O livro de Daniel, também é um livro deuterocanônico, mas, os fariseus tentaram esconder essa informação

Continuando a observação, algum protestante conseguiu perceber nesse catálogo sequencial farisaico que – ESDRAS/NEEMIAS e OS DOIS LIVROS DE CRONICAS – catalogados entre os livros poéticos com referência a livros históricos, na verdade, esses livros deveriam estar entre o primeiro conjunto de livros proféticos chamados de: PROFETAS ANTERIORES, ou, entre os PROFETAS POSTERIORES

Eu duvido que algum protestante tenha coragem, ou, dignidade para responder sobre essa falta de lógica no cânon satânico farisaico protestante.

Caro leitor, entenda uma questão, nunca existiu essa história de cânon grego e cânon hebraico, pois, na época de Jesus Cristo, o cânon era um só, ou seja, existia um cânon de Escrituras Sagradas, consideradas canônicas, no qual, essas Escrituras Sagradas, possuía cópias na língua hebraica/aramaica e cópias na língua grega, ou seja, o cânon era um apenas. O problema passou a existir, após o chamado SÍNODO DE JÂMNIA, no qual, os fariseus (matadores de Cristo) tomaram para si as Escrituras Sagradas hebraicas e decidiram modificá-las ao seu “bel prazer”. Tudo em nome da perseguição judaica contra o NOVO TESTAMENTO.   

Foram mais de três séculos a partir do SÍNODO DE JÂMNIA para que os fariseus chegassem a uma conclusão sobre o cânon, isso não aconteceu do dia para a noite, e, nunca teve a participação dos Apóstolos, ou, de algum Cristão.      

Algumas considerações finais:

A própria enciclopédia judaica afirma que, parte do cânon satânico farisaico protestante, não estava fechado, ou, concluído até o século II (A.D.). Podemos observar essa constatação nesse endereço, ou, podemos visualizá-las no print’s abaixo.

https://www.jewishvirtuallibrary.org/jsource/judaica/ejud_0002_0003_0_02930.html

No primeiro parágrafo na parte grifada diz:

Por outro lado, existem fartas evidências que mostram que a coleção do – Ketuvim – como um todo, bem como alguns livros individuais dentro dele, não foram aceitos como sendo finalmente fechados até meados do século II d.CComo mencionado acima, a prática de invocar todas as Escrituras a Torá e dos profetas pressupõe um lapso de tempo considerável entre a canonização da segunda e a terceira parte da Bíblia. O fato da última divisão não ter um nome fixo aponta para a mesma direção. Mesmo a designação definitivamente aprovada de – Ketuvim – é indeterminada, uma vez que também é usada em hebraico rabínico nos dois sentidos das Escrituras em geral e em textos individuais, em particular. ” (Enciclopédia Judaica, Vol. 3, página 578)

O que vemos nesse texto (acima) é a própria enciclopédia judaica AFIRMANDO que, até o segundo século, o último conjunto de livro do cânon satânico farisaico protestante, ainda não estava DEFINIDO. Mas, por incrível que pareça, os rebelados juram pelo mais alto dos céus que Jesus Cristo mencionou esse cânon satânico no Evangelho de São Lucas (risos).    

No final do segundo parágrafo desse print retirado da enciclopédia judaica, nos apresenta um caso interessante, prestem atenção no que está escrito:

Ben Sirac (Eclesiástico) que mostra familiaridade com todos os outros livros bíblicos, não menciona Daniel ou Esther. O último livro, na verdade, parece não ter sido aceito entre os sectários de Qumran; pelo menos, ainda não há fragmentos dele entre os pergaminhos do Deserto da Judéia. Com efeito, uma vez que houve certa reserva em relação à santidade do Livro de Ester é aparente no debate rabínico(Enciclopédia Judaica, Vol. 3, página 578)  

Caro leitores, a enciclopédia judaica está usando o livro de ECLESIASTICO DE SIRAC como parâmetro para julgar a inspiração de outros livros do (AT), no qual, os fariseus contestavam a inspiração do livro de Daniel e Esther. Assim, começamos a entender o porquê o livro de Daniel está fora da coleção de livros proféticos (esse é o cânon inspirado segundo a protestada). Eu nem quero me referi ao livro de Esther que nunca foi aceito pelos judeus e até Lutero o rejeitou.

Agora vem a parte mais interessante, depois que os judeus usaram o livro de ECLESIÁSTICO DE SIRAC como parâmetros para definir se Daniel e Esther eram inspirados, ou, não. A enciclopédia judaica afirma que, ESCLESIASTICO DE SIRAC só foi excluído do – Ketuvim – no final do segundo século (A.D.).

   

“The ambivalent attitude on the part of the rabbis to the Wisdom of Ben Sira is highly significant. The fact that in the middle of the second century C.E. it was necessary to emphasize the uncanonical status of this book (Tosef., Yad. 2:13) and to forbid its reading (TJ, Sanh. 10:1, 28a) proves that the corpus of Ketuvim was still fluid at this time, and that Ben Sira had acquired a measure of sanctity in the popular consciousness. Despite the ban, the book continued to achieve wide circulation. The amoraim even quote from it, employing the introductory terminology otherwise exclusively reserved for Scripture (cf. Nid. 16b di-khetiv; Ber. 55b she-ne'emar).

“A atitude ambivalente por parte dos rabinos para – Sabedoria de Ben Sirac – é altamente significativo. O fato que no meio do segundo século (A.C.) foi necessário enfatizar o status de não canonicidade desse livro e de proibir a sua leitura (Tosef, Yad 02:13..) (TJ, Sanh. 10: 1, 28a). Prova que o corpus de – Ketuvim – ainda estava fluindo naquele momento e que, Ben Sirac tinha adquirido uma medida de santidade na consciência popular. Apesar da proibição, o livro continua a atingir grande circulação. O amoraim mesmo cita-o, empregando a terminologia introdutória de outra forma reservada exclusivamente para a Escritura” (cf. Nid 16b di-khetiv;. Ber-55b ela ne'emar.).  

Eu nem preciso interpretar esse texto, pois, o mesmo fala por si. Como eu me referi (acima), o cânon satânico farisaico protestante citado por Flávio Joséfo, só foi concluído no III Século (A.D.).

Outras citações importantes, podemos encontrar no site: Apologistas Católicos:

“A mesma Enciclopédia Judaica afirma o mesmo sobre eclesiástico: Embora a Sabedoria de Ben Sira [Eclesiástico] é citado na literatura talmúdica com a frase introdutória, “como está escrito”, normalmente reservada a citações bíblicas, e é uma vez explicitamente mencionado entre os livros Hagiógrafos (Livro 92b; cf. Eclo 27, 9), ele não foi incluído no cânon. (Enciclopédia Judaica, Vol 3, Página 377)

Assim, uma fonte judaica confirma que Eclesiástico era citado como escritura por judeus no Talmude, que foi escrito por volta do terceiro século, embora depois tenham negado a sua inclusão no cânon.

Albert C. Sundberg, Jr, estudioso protestante, dá mais provas de que os judeus não estavam resolvidos a respeito do cânon, e que consideravam Eclesiástico, por exemplo, como Escritura: Há evidências de um uso continuo dessa literatura apócrifa na literatura rabínica de épocas posteriores. Siraque [Livro de Eclesiástico] é citado três vezes no Talmude como Escritura. É duas vezes citado com a fórmula introdutória, “pois assim está escrito no livro de Ben Sira”. Ben Sira, às vezes, também é citado como ‘Escritos’, quando os rabinos estavam provando por textos, por exemplo: ‘Este assunto está escrito tanto no Pentateuco como escrito [...], repetido nos profetas, como escrito [...], mencionado pela terceira vez no Hagiógrafo, como está escrito, (aqui Eclesiástico 12,15 é citado), isto foi aprendido no Mishná, [...]. (The Old Testament of the Early Church).”

http://www.apologistascatolicos.com.br/index.php/apologetica/deuterocanonicos/825-enciclopedia-judaica-confirma-que-nao-havia-canon-judaico-fechado-ate-o-seculo-ii-d-c

http://apologistascatolicos.com/index.php/apologetica/deuterocanonicos/588-jesus-mencionou-o-canon-protestante-em-lucas-11-50-51

http://apologistascatolicos.com/index.php/apologetica/deuterocanonicos/583-josefo-e-o-fechamento-do-canon-veterotestamentario-em-artaxerxes

Depois da leitura desse artigo, sabendo que, o cânon satânico farisaico protestante, só foi concluído pelos fariseus no III Século (A.D.). Eu pergunto: Desde quando um fariseu do primeiro ao terceiro século, no qual, descende da linhagem que condenou Jesus Cristo a crucificação poderia ter autoridade para definir algum tipo de cânon?

A Bíblia Sagrada condena esse cânon usado hoje pelos protestantes em suas FERRADAS POR ALMEIDA.

“Jesus acrescentou: Nunca lestes nas Escrituras: A pedra rejeitada pelos construtores tornou-se a pedra angular; isto é obra do Senhor, e é admirável aos nossos olhos (Sl 117,22)? Por isso vos digo: ser-vos-á tirado o Reino de Deus, e será dado a um povo que produzirá os frutos dele” (Evangelho de São Mateus, Capítulo XXI, Versos XLII e XLIII)

Um povo que foi excluído do Reino de Deus, no qual, matou o seu próprio Messias, perseguiu e martirizou vários apóstolos, santos e profetas, simplesmente DEFINIU O CÂNON SATÂNICO FARISAICO PROTESTANTE.

Misericórdia Senhor! 

Obs.: Tudo isso já foi refutado e ensinado para esses protestantes, porém, como a mentira é o primeiro dogma de fé protestante, e, seu pai é o tinhoso, eles levarão essa mentira como absoluta verdade no intuito de enganar pessoas simples, humildes e desinformadas.

E mais uma vez cai por terras as MENTIRAS PROTESTANTES.

Autor: Cris Macabeus.

REFERÊNCIAS POR ORDEM DO NOVO TESTAMENTO:

• Evangelho segundo Mateus

Mt 4,4 = Deut 8,3;
Mt 4,15 = 1Mc 5,15;
Mt 5,18 = Br 4,1;
Mt 5,28 = Eclo 9,8;
Mt 5,2-4 = Eclo 25,7-12;
Mt 5,4 = Eclo 48,24;
Mt 6,7 = Eclo 7,14;
Mt 6,9 = Eclo 23,1.4;
Mt 6,10 = 1Mc 3,60;
Mt 6,12 = Eclo 28,2;
Mt 6,13 = Eclo 33,1;
Mt 6,20 = Eclo 29,10-11;
Mt 6,23 = Eclo 14,10;
Mt 6,33 = Sb 7,11;
Mt 7,12 = Tb 4,15 / Eclo 31,15;
Mt 7,16 = Eclo 27,6;
Mt 8,11 = Br 4,37;
Mt 8,21 = Tb 4,3;
Mt 9,36 = Jdt 11,19;
Mt 9,38 = 1Mc 12,17;
Mt 10,16 = Eclo 13,17;
Mt 11,14 = Eclo 48,10;
Mt 11,22 = Jdt 16,17;
Mt 11,25 = Tb 7,17 / Eclo 51,1;
Mt 11,28 = Eclo 24,19 / Eclo 51,23;
Mt 11,29 = Eclo 6,24-25 / Eclo 6,28-29 / Eclo 51,26-27;
Mt 12,4 = 2Mc 10,3 ;
Mt 12,5 = Eclo 40,15;
Mt 13,44 = Eclo 20,30-31;
Mt 16,18 = Sb 16,13;
Mt 16,22 = 1Mc 2,21;

Mt 16,27 = Eclo 35,22;
Mt 17,1 = Eclo 48,10;
Mt 18,10 = Tb 12,15;
Mt 20,2 = Tb 5,15;
Mt 22,13 = Sb 17,2;
Mt 23,38 = Tb 14,4;
Mt 24,15 = 1Mc 1,54 / 2Mc 8,17;
Mt 24,16 = 1Mc 2,28;
Mt 25,35 = Tb 4,17;
Mt 25,36 = Eclo 7,32-35;
Mt 26-38 = Eclo 37,2;
Mt 27,24 = Dn 13,46;
Mt 27,43 = Sb 2,13 / Sb 18-20.

• Evangelho segundo Marcos

Mc 1,15 = Tb 14,5;
Mc 4,5 = Eclo 40,15;
Mc 4,11 = Sb 2,22;
Mc 5,34 = Jdt 8,35;
Mc 6,49 = Sb 17,15;
Mc 8,37 = Eclo 26,14;
Mc 9,31 = Eclo 2,18;
Mc 9,48 = Jdt 16,17;
Mc 10,18 = Eclo 4,1;
Mc 14,34 = Eclo 37,2;
Mc 15,29 = Sb 2,17.

• Evangelho segundo Lucas

Lc 1,17 = Eclo 48,10;
Lc 1,19 = Tb 12,15;
Lc 1,19 = Tb 12,15;
Lc 1,42 = Jdt 13,18;
Lc 1,52 = Eclo 10,14;
Lc 2,29 = Tb 11,9;
Lc 2,37 = Jdt 8,6;
Lc 6,35 = Sb 15,1;
Lc 7,22 = Eclo 48,5;
Lc 9,8 = Eclo 48,10;
Lc 10,17 = Tb 7,17;
Lc 10,19 = Eclo 11,19;
Lc 10,21 = Eclo 51,1;
Lc 12,19 = Tb 7,10;
Lc 12,20 = Sb 15,8;
Lc 13,25 = Tb 14,4;
Lc 13,27 = 1Mc 3,6;
Lc 13,29 = Br 4,37;
Lc 14,13 = Tb 2,2;
Lc 15,12 = 1Mc 10,29[30] / Tb 3,17;
Lc 18,7 = Eclo 35,22;
Lc 19,44 = Sb 3,7;
Lc 21,24 = Tb 14,5;
Lc 21,24 = Eclo 28,18;
Lc 21,25 = Sb 5,22;

Lc 24,4 = 2Mc 3,26;
Lc 24,31 = 2Mc 3,34;
Lc 24,50 = Eclo 50,20-21;
Lc 24,53 = Eclo 50,22-23.

• Evangelho segundo João

Jo 1,3 = Sb 9,1;
Jo 3,8 = Eclo 16,21;
Jo 3,12 = Sb 9,16 / Sb 18,15-16;
Jo 3,13 = Br 3,29;
Jo 3,28 = 1Mc 9,39;
Jo 3,32 = Tb 4,6;
Jo 4,9 = Eclo 50,25-26;
Jo 4,48 = Sb 8,8;
Jo 5,18 = Sb 2,16;
Jo 6,35 = Eclo 24,21;
Jo 7,38 = Eclo 24,40 / Eclo 43,30-31;
Jo 8,44 = Sb 2,24;
Jo 8,53 = Eclo 44,19;
Jo 10,20 = Sb 5,4;
Jo 10,22 = 1Mc 4,59;
Jo 14,15 = Sb 6,18;
Jo 15,9-10 = Sb 3,9;
Jo 17,3 = Sb 15,3;
Jo 20,22 = Sb 15,11.

• Atos dos Apóstolos

At 1,10 = 2Mc 3,26;
At 1,18 = Sb 4,19;
At 2,4 = Eclo 48,12;
At 2,11 = Eclo 36,7;
At 2,39 = Eclo 24,32;
At 4,24 = Jdt 9,12;
At 5,2 = 2Mc 4,32;
At 5,12 = 1Mc 12,6;
At 5,21 = 2Mc 1,10;
At 5,39 = 2Mc 7,19;
At 9,1-29 = 2Mc 3,24-40;
At 9,2 = 1Mc 15,21;
At 9,7 = Sb 18,1;
At 10,2 = Tb 12,8;
At 10,22 = 1Mc 10,25 / 1Mc 11,30.33 etc.;
At 10,26 = Sb 7,1;
At 10,30 = 2Mc 11,8;
At 10,34 = Eclo 35,12-13;
At 10,36 = Sb 6,7 / Sb 8,3 etc.;
At 11,18 = Sb 12,19;
At 12,5 = Jdt 4,9;
At 12,10 = Eclo 19,26;
At 12,23 = Jdt 16,17;
At 12,23 = Eclo 48,21 / 1Mc 7,41 / 2Mc 9,9;
At 13,10 = Eclo 1,30;
At 13,17 = Sb 19,10;

At 14,14 = Jdt 14,16-17;
At 14,15 = Sb 7,3;
At 15,4 = Jdt 8,26;
At 16,14 = 2Mc 1,4;
At 17,23 = Sb 14,20 / Sb 15,17;
At 17,24 = Tb 7,17 / Sb 9,9;
At 17,24-25 = Sb 9,1;
At 17,26 = Sb 7,18;
At 17,27 = Sb 13,6;
At 17,29 = Sb 13,10;
At 17,30 = Eclo 28,7;
At 19,7 = Sb 3,17;
At 19,28 = Dn 14,18.41;
At 20,26 = Dn 13,46;
At 20,32 = Sb 5,5;
At 20,35 = Eclo 4,31;
At 21,26 = 1Mc 3,49;
At 22,9 = Sb 18,1;
At 24,2 = 2Mc 4,6;
At 26,18 = Sb 5,5;
At 26,25 = Jdt 10,13.

• Epístola aos Romanos

Rm 1,19-32 = Sb 13-15;
Rm 1,21 = Sb 13,1;
Rm 1,23 = Sb 11,15 / Sb 12,24;
Rm 1,28 = 2Mc 6,4;
Rm 2,4 = Sb 11,23;
Rm 2,11 = Eclo 35,12-13;
Rm 2,15 = Sb 17,11;
Rm 4,13 = Eclo 44,21;
Rm 4,17 = Eclo 44,19;
Rm 5,5 = Eclo 18,11;
Rm 5,12 = Sb 2,24;
Rm 9,4 = Eclo 44,12 / 2Mc 6,23;
Rm 9,19 = Sb 12,12;
Rm 9,21 = Sb 15,7;
Rm 9,31 = Eclo 27,8 / Sb 2,11;
Rm 10,7 = Sb 16,13;
Rm 10,6 = Br 3,29;
Rm 11,4 = 2Mc 2,4;
Rm 11,15 = Eclo 10,20-21;
Rm 11,33 = Sb 17,1;
Rm 12,15 = Eclo 7,34;
Rm 13,1 = Eclo 4,27;
Rm 13,1 = Sb 6,3-4;
Rm 13,10 = Sb 6,18;
Rm 15,4 = 1Mc 12,9;
Rm 15,8 = Eclo 36,20.

• 1ª Epístola aos Coríntios

1Cor 1,24 = Sb 7,24-25;
1Cor 2,9 = Eclo 1,10;

1Cor 2,16 = Sb 9,13;
1Cor 4,13 = Tb 5,19;
1Cor 4,14 = Sb 11,10;
1Cor 6,2 = Sb 3,8;
1Cor 6,12 = Eclo 37,28;
1Cor 6,13 = Eclo 36,18;
1Cor 6,18 = Eclo 23,17;
1Cor 7,19 = Eclo 32,23;
1Cor 9,19 = Eclo 6,19;
1Cor 9,25 = Sb 4,2;
1Cor 10,1 = Sb 19,7-8;
1Cor 10,20 = Br 4,7;
1Cor 10,23 = Eclo 37,28;
1Cor 11,7 = Eclo 17,3 / Sb 2,23;
1Cor 11,24 = Sb 16,6;
1Cor 15,29 = 2Mc 12,43-44;
1Cor 15,32 = Sb 2,5-6;
1Cor 15,34 = Sb 13,1.

• 2º Epístola aos Coríntios

2Cor 5,1.4 = Sb 9,15;
2Cor 12,12 = Sb 10,16.

• Epístola aos Gálatas

Gl 2,6 = Eclo 35,13;
Gl 4,4 = Tb 14,5;
Gl 6,1 = Sb 17,17.

• Epístola aos Efésios

Ef 1,6 = Eclo 45,1 / Eclo 46,13;
Ef 1,17 = Sb 7,7;
Ef 4,14 = Eclo 5,9;
Ef 4,24 = Sb 9,3;
Ef 6,12 = Sb 5,17;
Ef 6,14 = Sb 5,18;
Ef 6,16 = Sb 5,19.21.

• Epístola aos Filipenses

Fl 4,5 = Sb 2,19;
Fl 4,13 = Sb 7,23;
Fl 4,18 = Eclo 35,6.

• Epístola aos Colossenses

Cl 2,3 = Eclo 1,24-25.

• 1ª Epístola aos Tessalonicenses

1Ts 3,11 = Jdt 12,8;
1Ts 4,6 = Eclo 5,3;
1Ts 4,13 = Sb 3,18;
1Ts 5,1 = Sb 8,8;
1Ts 5,2 = Sb 18,14-15;
1Ts 5,3 = Sb 17,14;
1Ts 5,8 = Sb 5,18.

• 2ª Epístola aos Tessalonicenses

2Ts 2,1 = 2Mc 2,7.

• 1ª Epístola a Timóteo

1Tm 1,17 = Tb 13,7.11;

1Tm 2,2 = 2Mc 3,11 / Br 1,11-12;
1Tm 6,15 = Eclo 46,5 / 2Mc 12,15 / 2Mc 13,4.

• 2ª Epístola a Timóteo

2Tm 2,19 = Eclo 17,26 / Eclo 23,10 (vl) / Eclo 35,3;
2Tm 4,8 = Sb 5,16;
2Tm 4,17 = 1Mc 2,60.

• Epístola a Tito

Tt 2,11 = 2Mc 3,30;
Tt 3,4 = Sb 1,6.

• Epístola aos Hebreus

Hb 1,3 = Sb 7,25-26;
Hb 2,5 = Eclo 17,17;
Hb 4,12 = Sb 18,15-16 / Sb 7,22-30;
Hb 5,6 = 1Mc 14,41;
Hb 7,22 = Eclo 29,14-16;
Hb 11,5 = Eclo 44,16 / Sb 4,10;
Hb 11,6 = Sb 10,17;
Hb 11,10 = Sb 13,1 / 2Mc 4,1;
Hb 11,17 = 1Mc 2,52 / Eclo 44,20;
Hb 11,27 = Eclo 2,2;
Hb 11,28 = Sb 18,25;
Hb 11,35 = 2Mc 6,18-7,42;
Hb 12,4 = 2Mc 13,14;
Hb 12,9 = 2Mc 3,24;
Hb 12,12 = Eclo 25,23;
Hb 12,17 = Sb 12,10;
Hb 12,21 = 1Mc 13,2;
Hb 13,7 = Eclo 33,19 / Sb 2,17.

• Epístola de Tiago

Tg 1,1 = 2Mc 1,27;
Tg 1,2 = Eclo 2,1 / Sb 3,4-5;
Tg 1,13 = Eclo 15,11-20;
Tg 1,19 = Eclo 5,11;
Tg 1,21 = Eclo 3,17;
Tg 2,13 = Tb 4,10;
Tg 2,23 = Sb 7,27;
Tg 3,2 = Eclo 14,1;
Tg 3,6 = Eclo 5,13;
Tg 3,9 = Eclo 23,1.4;
Tg 3,10 = Eclo 5,13 / Eclo 28,12;
Tg 3,13 = Eclo 3,17;
Tg 4,2 = 1Mc 8,16;
Tg 4,11 = Sb 1,11;
Tg 5,3 = Jdt 16,17 / Eclo 29,10;
Tg 5,4 = Tb 4,14;
Tg 5,6 = Sb 2,10 / Sb 2,12 / Sb 2,19.

• 1ª Epístola de Pedro

1Pd 1,3 = Eclo 16,12;
1Pd 1,7 = Eclo 2,5;
1Pd 2,25 = Sb 1,6;

1Pd 4,19 = 2Mc 1,24 etc.;
1Pd 5,7 = Sb 12,13.

• 2ª Epístola de Pedro

2Pd 2,2 = Sb 5,6;
2Pd 2,7 = Sb 10,6;
2Pd 3,9 = Eclo 35,19;
2Pd 3,18 = Eclo 18,10.

• 1ª Epístola de João

1Jo 5,21 = Br 5,72.

• Epístola de Judas

Jd 1,13 = Sb 14,1.

• Livro do Apocalipse

Ap 1,18 = Eclo 18,1;
Ap 2,10 = 2Mc 13,14;
Ap 2,12 = Sb 18,16[15];
Ap 2,17 = 2Mc 2,4-8;
Ap 4,11 = Eclo 18,1 / Sb 1,14;
Ap 5,7 = Eclo 1,8;
Ap 7,9 = 2Mc 10,7;
Ap 8,1 = Sb 18,14;
Ap 8,2 = Tb 12,15;
Ap 8,3 = Tb 12,12;
Ap 8,7 = Eclo 39,29 / Sb 16,22;
Ap 9,3 = Sb 16,9;
Ap 9,4 = Eclo 44,18 etc.;
Ap 11,19 = 2Mc 2,4-8;
Ap 17,14 = 2Mc 13,4;
Ap 18,2 = Br 4,35;
Ap 19,1 = Tb 13,18;
Ap 19,11 = 2Mc 3,25 / 2Mc 11,8;
Ap 19,16 = 2Mc 13,4;
Ap 20,12-13 = Eclo 16,12;
Ap 21,19-20 = Tb 13,17.